+351 22 832 00 09
geral@colegioespinheirario.pt

Missão, Valores e Visão

Colégio Espinheira Rio, doravante designado por CER, é um estabelecimento de Ensino Particular, fundado a 4 de setembro de 1989, por iniciativa de Mª Celeste Espinheira Rio, licenciada em Educação de Infância pela Escola Superior de Educação de Santa Maria, no Porto.

Está legalizado, pelo Ministério da Educação, para o Ensino Pré-escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico, através da autorização definitiva de funcionamento n.º 15 da DREN, de 30 de setembro de 1999, e pela Direção Geral da Segurança Social, para a valência da Creche, através do alvará n.º 42, de 23 de novembro de 2015.

O CER assenta a sua intervenção pedagógica nas teorias sócio construtivistas da Escola Nova, segundo as quais o desenvolvimento da criança resulta da interação social, ou seja, do contacto com outros indivíduos e com o meio.

Tendo como ponto de partida este princípio, podemos dizer que a nossa prática é largamente inspirada pelos seguintes modelos pedagógicos:

A partir desta simbiose, o CER pretende contribuir para o desenvolvimento da personalidade única de cada criança/aluno, valorizando um ideal de formação integral e um harmonioso desenvolvimento físico, intelectual, afetivo e moral.

Articulação entre Valências

De acordo com as atuais recomendações sobre a gestão do currículo no ensino Pré-escolar, a planificação conjunta entre educadores de infância e professores do 1.º CEB, na sala dos 5 anos, é condição determinante para o sucesso da integração das crianças na escolaridade obrigatória.

Atendendo a esta necessidade, a parceria entre o Educador de Infância, responsável pelo grupo dos 5 anos do Pré-escolar, e o Professor do 1.º CEB decorre durante o ano letivo que antecede a entrada no 1.º ano, sob a forma de um Ateliê de Letras e Números, designado como “Projeto 5”, no qual se desenvolvem um conjunto de competências nas áreas da Língua Portuguesa e da Matemática. Competências entre as quais se destacam as rotinas que constituem a estrutura-base do método de iniciação à leitura e à escrita a ser utilizado (28 Palavras) e atividades relacionadas com o raciocínio lógico dedutivo (Método Singapura).
 
Cada sessão tem a duração de 45 minutos, decorrendo semanalmente, a partir do mês de janeiro. A planificação e a avaliação das mesmas são da responsabilidade do Educador de Infância cooperante e do Professor do 1.º CEB.
 
Nota: A frequência neste ateliê destina-se, exclusivamente, aos alunos matriculados no ano letivo seguinte, na valência do 1.º CEB.

Missão

O CER pretende contribuir para o desenvolvimento da personalidade única de cada criança/aluno, valorizando um ideal de formação integral e um harmonioso desenvolvimento físico, intelectual, afetivo e moral, baseado em metodologias pedagógicas.

Valores

Os quatro pilares da Educação, adotados pelo Cer, são conceitos de fundamento da educação baseados no Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, coordenada por Jacques Delores.

Aprender a SER

Esta aprendizagem depende das outras três, e
dessa forma a educação deve propor como uma de suas finalidades essenciais o desenvolvimento do indivíduo, espírito e corpo, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal e espiritualidade.

Aprender a CONHECER

Essa aprendizagem se refere à aquisição dos “instrumentos do conhecimento”, desenvolvendo nos alunos o raciocínio lógico, a capacidade de compreensão, o pensamento dedutivo e intuitivo e a memória. O importante é não apenas despertar nos estudantes esses instrumentos, como motivá-los a desenvolver sua vontade de aprender e querer saber mais e melhor.

Aprender a CONVIVER

Esse domínio da aprendizagem atua no campo das atitudes e dos valores e envolve uma consciência e ações contra o preconceito e as rivalidades diárias que se apresentam no desafio de viver.

Aprender a FAZER

Essa aprendizagem confere ao aluno uma formação em que aplicará na prática seus conhecimentos teóricos. É essencial que cada indivíduo saiba se comunicar através de diferentes linguagens, assim como interpretar e selecionar quais informações são essenciais e quais podem ajudar a refazer opiniões e serem aplicadas na maneira de se viver e de redescobrir o tempo e o mundo.

Visão

O cer, assume, como visão:

“Por uma Educação Participada”

Esta visão pressupõe que o percurso educativo implique uma sequencialidade progressiva, conferindo a cada etapa a função de completar, aprofundar e alagar a etapa anterior, numa perfectiva de continuidade.

Esta posição envolve estratégias de articulação que passam não só pela sua valorização das aquisições feitas pela criança no colégio, como pela familiarização com as aprendizagens escolares formais.

Aos educadores de infância e aos professores do 1.º CEB compete-lhes adotar uma atitude proativa na procura desta continuidade/sequencialidade, não deixando de afirmar a especificidade de cada etapa. Só assim se podem garantir as condições para uma articulação co-construída, escutando os pais, os profissionais, as crianças e as suas perfectivas.